Quinta 30 Outubro 2014
Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 46
  • Brasil Escolar Kodak
  • Anúncie

Edital da Ferrovia Centro-Oeste trecho até Água Boa sai no próximo mês

Os editais para a construção do primeiro trecho da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) vão ser publicados em setembro. O trecho a ser construído terá 410 quilômetros de extensão, que vai de Campinorte em Goiás, até Água Boa, no Mato Grosso. O anúncio foi feito pela Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, durante audiência pública realizada ontem em Nova Crixás, na Região do Vale do Araguaia. O início das obras está previsto para o mês de novembro deste ano.
Em Goiás, a Fico vai começar em Campinorte, onde faz integração com a Ferrovia Norte-Sul, e passar pelos municípios de Nova Iguaçu, Pilar de Goiás, Santa Terezinha, Crixás, Nova Crixás e Aruanã, transpondo o Rio Araguaia. Em Mato Grosso, beneficiará os municípios de Cocalinho Nova Nazaré e Água Boa, nesta primeira etapa. Na segunda etapa, a ser implementada a partir de 2012, a Fico se estenderá até o município de Lucas do Rio Verde, totalizando 1.040 quilômetros. A terceira etapa prevê a extensão até Vilhena, em Rondônia, totalizando 1.630 quilômetros.

 

De acordo com assessor técnico da Presidência da Valec, Josias Gonzaga da Silva, somente no trecho de 410 quilômetros de Campinorte até Água Boa será investido R$ 1,6 bilhão, com geração prevista de 10 mil empregos diretos e cerca de 30 mil indiretos. No trecho serão instaladas três fábricas de dormentes, contribuindo para aumentar a geração de postos de trabalho e para movimentar a economia da região. Para implantação da Fico, a Valec vem realizando audiências públicas em Mato Grosso e Goiás, com eventos em Cocalinho, Nova Crixás e Crixás. Na terça-feira à noite houve reunião em Cocalinho e hoje à noite (26/8) será a vez da população de Crixás conhecer os detalhes da obra.

Importância

Durante a audiência pública, que contou com a participação também de autoridades do Governo Estadual, a população fez muitos questionamentos sobre como aproveitar efetivamente as oportunidades econômicas que surgirão durante a construção e posteriormente, quando a via estiver em operação. O assessor técnico da Presidência da Valec explicou que, pelas atuais regras da licitação, as empresas construtoras terão de aplicar no mínimo 30% do valor contratado na própria região, incluindo a compra de matérias-primas com brita, areia, pedras, madeira, cimento e também na contratação da mão de obra que deverá contemplar prioritariamente as pessoas da região.

O prefeito de Nova Crixás, Lázaro Valdivino da Silva, argumentou que a Ferrovia de Integração Centro-Oeste será um marco para a economia regional, porque vai trazer benefícios de grande vulto para todo  o Vale do Araguaia. “Essa obra será fundamental para o escoamento dos nossos produtos, especialmente carnes, grãos e minérios”, observou ele, lembrando que a região já conta com indústrias e mineradoras. “Com a chegada da ferrovia, a produção de grãos vai aumentar e tenho certeza que serão instaladas usinas de etanol e açúcar”, previu o prefeito.

O Governo do Estado foi representado pelo engenheiro agrônomo Araldo Steindorf, gerente de Estudos e Operações do Projeto de Irrigação Luís Alves do Araguaia, ligado à Secretaria do Planejamento. Ele ressaltou a importância da obra, argumentando que o grande gargalo dos produtores rurais na atualidade é a logística, já que grande parte das despesas está no custo do frete. Ele lembrou que os produtos de Mato Grosso recebem em média R$ 32 pela saca da soja e pagam R$ 10 para que este produto chegue ao Porto de Paranaguá, no Paraná, ou seja 30% do valor para o frete. Com a ferrovia, o valor do transporte poderá ser três vezes menor.
Durante a audiência pública, os engenheiros da Valec mostraram detalhes da obra, como trajeto, prazo de construção, modalidades de licitação, realização de levantamento de sítios arqueológicos e desapropriação de terras pode onde passará o leito da via.  Josias Gonzaga anunciou que Nova Crixás será contemplada com uma plataforma de embarque e desembarque de mercadorias, além de um canteiro de obras que, durante a construção, servirá à construtora responsável pelo trecho. Depois da ferrovia pronta, o canteiro é doado ao município que poderá instalar um centro de educação profissional, formando os jovens e a população em geral para trabalhar nas indústrias e empresas que surgirão com a chegada da ferrovia.

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!

Comentários  

 
0 #6 falcão 29-11--0001 20:53
...como eu dizia vão esperar a ponte do sete cair para tomar alguma atitude ....acorda gente tem crianças passando sobre as pontes que não tem nenhuma segurança ....as crianças estão passando a pé sobre as pontes...são varias crianças que passam ao mesmo tempo... os rios estão cheios será que tem que acontecer uma tragedia para que vcs politicos cumpram com o seu dever...deixo aqui o meu alerta tambem aos meios de comunicação para que nos ajude a resolver esse problema...ah.. e não adianta falarem que é culpa da chuva..concordo que agora não tem como mexer ...cuidem das crianças que atravessam
Citar
 
 
0 #5 falcão 29-11--0001 20:53
...quero lembrar os nossos vereadores que em AGUA BOA existe um assentamento (P.A.JARAGUA) onde parece estar esquecido as pontes estão caindo...não adianta colocar a culpa nas chuvas o problema já estava previsto ...mas não querem gastar... em epocas de campanha os assentamento são visitados por candidatos... agora os que estão eleitos sumiram ...a madeira esta da ponte esta lagarda ao tempo... fazer o que é dinheiro publico... ah..foram os "posseiros" que doaram...então pode apodrecer depois... é só pedir de novo.. não é senhores politicos? de AGUA BOA-MT... a ponte do sete vai cair ...
Citar
 
 
0 #4 adriano vicente 29-11--0001 20:53
Muito legal esse trabalho de vcs! Sou operador de escavadeira e to afim de trabalhar nessa ferrovia em agua boa, por isso ficarei muito grato em resceber informaçoes com o passar do tempo, sobre vagas.
Citar
 
 
0 #3 cleines 29-11--0001 20:53
DEVERIA MESMO ERA PAVIMENTAR ESTA RODOVIA Q LIGA O ESTADO DE GOIAS AO MT,PASSANDO POR COCALINHO A AGUA BOA,Q HOJE E DE TOTAL IMPORTANCIA PARA OS DOIS ESTADOS.MAS COMO JA FOI DITO PELO COLEGA COMENTARISTA E EPOCA DE POLITICA DIRREPEITE PODE SOBRAR ATE MESMO ESTA PROMESA PARA NOS.QUE SABE NE?MAS NAO PODEMOS DEICHAR Q FIQUE SO EM PROMESAS NAO,TEREMOS Q FASER REFLETIR NAS URNAS,SO LA PODEMOS ESCOLHER O Q QUEREMOS.ASS: CLEINES DE NOVA NAZARE MT.
Citar
 
 
0 #2 Indignado 2 29-11--0001 20:53
Está havendo muito blá-blá-blá, e muita propaganda...eu já vi várias vezes lançamento da ponte em Cocalinho, no mínimo umas 3 e já vi até a obra começar...passo u a eleição...as empresas foram embora. Motivo: o governo deizxou de repasar o dinhero para pagar.Quando eu vi no telão de apresentação aquela propaganda toda do PT, eu desanimei.
Citar
 
 
0 #1 anonimo 29-11--0001 20:53
Ei a questao, ano politico e varias promessas de obras, fim de politica esquecimento de obras! sempre é assim... Acorda povo, a ferrovia já era para estar em nossa regiao à 30 anos atras, e ate hoje nada... É uma pouca vergonha, promessas em cima de promessas! Obras canceladas apos o termino do periodo politico. A politica sempre foi FALSA, acordem!!!Se for pensar, seria melhor voltarmos ao tempo da era MILITAR. com certeza não haveria tantos ladrões de ternos como nos dias de hoje.INDIGNADO! !!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar